Pesquisa
Acesso
Login:
Senha:
BATE-PAPO COM MARILDA LIPP
Entrevistado: MARILDA LIPP





Marilda Lipp é diretora fundadora do Centro Psicológico de Controle do Stress e professora titular da PUC-Campinas. Há mais de 15 anos vem pesquisando e escrevendo sobre stress. Em 1996 publicou Pesquisas sobre stress no Brasil; em 1997 um livro acompanhado de um CD; Relaxamento para todos: Controle seu stress; no ano 2000 lançou Crianças estressadas: Causas, sintomas e soluções e, em 2002, o livro O stress do professor, todos pela Papirus. Para Marilda, "é preciso que o professor, por seu papel de formador de idéias, aprenda a lidar com o stress educacional de modo eficaz e moderno. Desse aprendizado, surgirá uma sociedade mais forte para enfrentar as dificuldades da vida, adaptar-se às exigências do mundo moderno e usufruir uma vida de real qualidade".

É comum o professor sofrer de stress? Por quê?
Marilda:
Nossas pesquisas mostram que a profissão docente é bastante estressante. Pelo menos 40% dos professores apresentam sinais de stress, porque eles não sabem lidar com o stress ocupacional.

Quais os fatores geradores de stress na escola? Como identificá-los?
Marilda:
O principal fator está relacionado com a quantidade de mudanças ligadas ao exercício da profissão docente. Mudanças quanto ao que se espera do professor, isto é, hoje em dia se almeja um professor generalista, capaz de ensinar todas as disciplinas. Nem sempre o professor está preparado para (ou gosta de) tal atribuição. Lidar com o aluno desmotivado, desrespeitoso, com pais que não colaboram, com escolas que não apresentam condições básicas de segurança e de ensino e receber um salário inadequado são as principais fontes de stress nesta área ocupacional.

Quais os prejuízos provocados pelo stress?
Marilda:
O stress afeta a saúde física, psicológica e também o funcionamento mental e social do ser humano.

É possível perceber os primeiros sintomas de stress e tomar medidas para amenizar o problema?
Marilda:
É possível sim. Quando o professor começar a se sentir irritado facilmente, quando tiver vontade de abandonar tudo, quando o desânimo o invadir quase todos os dias, quando sentir tontura, ansiedade, dores musculares e quando a memória começar a falhar, está na hora de avaliar sua vida e ver o que pode ser feito para reduzir as fontes de stress.

.