Pesquisa
Acesso
Login:
Senha:

Newsletter




A CIÊNCIA DA EDUCAÇÃO, A EDUCAÇÃO PELA CIÊNCIA

Aulas reprodutivas, repetições, exercícios na apostila, lição de casa no melhor estilo "copia e cola". Para que o dia a dia da educação não caia nesse círculo vicioso, é preciso reconfigurar não apenas o papel do professor, mas também a própria atuação do aluno. Para isso, o educador Pedro Demo traz um novo panorama educacional, que busca desenvolver uma sociedade apta a lidar com o conhecimento de modo autoral, autônomo, crítico e criativo. As bases dessa proposta estão compiladas na obra Educação e alfabetização científica, lançamento da Papirus Editora.

De acordo com o autor, a educação científica trata da formação dos alunos voltada para os desafios da produção do conhecimento científico, aliando, nesse contexto, objetivos tipicamente formativos (produzir conhecimento e formar para produzir conhecimento); formação em método científico, com espírito crítico (por exemplo, crítica ao positivismo); formação para autoria individual e coletiva (no sentido de que a escola, em vez de dar aula, contribua para que o aluno produza conhecimento próprio).

"O objetivo da obra é atualizar a discussão no país e propor alternativas que vão muito além do ‘dia da ciência’, ‘feira de ciências’ ou coisa parecida. É preciso acompanhar a discussão mundial (aliás, bem excitada hoje, por conta da competitividade globalizada puxada pelo conhecimento científico). Para isso, tem-se como público-alvo professores básicos em geral, em especial aqueles das áreas de ciências (inclusive matemática). Também professores de cursos de pedagogia e licenciatura, por conta da formação dos docentes básicos", analisa Pedro Demo.

O livro se divide em quatro capítulos: "Educação e ciência"; "Querelas metodológicas e educação científica"; "Educação e alfabetização científica"; e "Condições e suportes". Segundo o autor, é possível (e recomendável) iniciar o processo de educação científica antes da alfabetização da criança. "Essa linha didática colabora com a natural curiosidade das crianças, por meio de ações como mostrar experimentos, leis e regularidades da ciência, trabalhar método científico no sentido lógico e experimental, trabalhar avanços científicos importantes para a criança etc.", pontua.

Demo alerta, no entanto, que é necessária uma preparação prévia para se educar por intermédio da pedagogia científica: "É preciso cuidar do professor, para que assuma o desafio da produção própria de conhecimento científico, e, assim, possa trabalhar essa mesma ideia com seus alunos".

"A proposta da educação científica é sumamente importante, não só pela pressão do mercado atual, mas sobretudo por conta dos desafios da autoria, ou seja, dos horizontes pedagógicos, em especial do desenvolvimento da capacidade de ‘fazer-se oportunidade’, à medida que o conhecimento fundamentar a autonomia de cada qual", finaliza Pedro Demo.

.